sexta-feira, outubro 28, 2005

O Zangão


"Estava mergulhado numa água de um azul celestial. Numa morte certa quamdo ouvi um
certo zum zum zum ... depois não sei porquê,vi-me poisado num muro ao sol e o mesmo som
eu ouvia zum zum zum ... perguntei baixinho (és um anjo?)"



O meu anjo sem asas


Não tinha asas. Não era belo. Mas era um anjo.
Encontrei-o no local mais improvável
Para encontrar anjos.
.../...
Poema da encandescente

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home